06 setembro 2011

Cine ED: “Cada um com seu cinema”.


Dia 22 de setembro às 16:00 horas na Escola de Design da UEMG.

Título original:
(Chacun son cinéma ou Ce petit coup au coeur quand la lumière s'éteint et que le film commence).

Sinopse:
“Um filme absolutamente único, realizado por ocasião dos 60 anos do Festival de Cannes, o festival de cinema mais importante do mundo, que reúne o modo como 33 cineastas de 25 países olham o cinema e as salas de cinema, lugar de comunhão dos cinéfilos do mundo inteiro.
Objecto cinematográfico imperdível, autêntico compêndio do estado do mundo do cinema e das singularidades de cada cineasta. Os filmes que o compõem são realizados por David Cronenberg, Jean-Pierre e Luc Dardenne, Nanni Moretti, Wong Kar-Wai, Abbas Kiarostami, Takeshi Kitano, Ken Loach, Walter Salles, Gus Van Sant, David Lynch, entre outros. O português Manoel de Oliveira apresenta um dos segmentos mais originais do conjunto”. (Ípsilon)

Ficha Técnica: 2007 (França).
Duração: 119 min.
Direção: Theo Angelopoulos, Olivier Assayas, Bille August, Jane Campion, Youssef Chahine, Chen Kaige, Michael Cimino, Joel Coen, Ethan Coen, David Cronenberg, Jean-Pierre Dardenne, Luc Dardenne, Raymond Depardon, Atom Egoyan, Amos Gitai, Alejandro Gonzalez-Inarritu, Hou Hsiao-hsien, Aki Kaurismäki, Abbas Kiarostami, Takeshi Kitano, Andrei Konchalovsky, Claude Lelouch, Ken Loach, David Lynch, Walter Salles, Nanni Moretti, Roman Polanski, Elia Suleiman, Lars Von Trier, Gus Van Sant, Wong Kar-Wai,Zhang Yimou, Raoul Ruiz, Tsai Ming-liang, Wim Wenders, Manoel de Oliveira.

Apresentação: Profa. Maria de Fátima Augusto (ED/UEMG).
Palestra: Cinema e Memória (
Prof. Mário Santiago – Núcleo de Design e Cultura/ED/UEMG).
Promoção:
Centro de Extensão da ED/UEMG.

04 setembro 2011

Antônio Abujamra e Mara Gabrilli.


A comovente e inteligente entrevista da deputada
federal Mara Gabrilli com o ator Antônio Abujamra
(Provocações), que assisti ontem à noite na TV Cultura.

Receita para arrancar poemas presos.


O ator e apresentador (Provocações) Antônio Abujamra, recitando o
belo poema de Viviane Mosé. Interessante texto para se pensar as
consequências e possibilidades do derretimento dos tempos sólidos
(Marx e Bauman).