Arquivo do blog

22.12.21

Do Valter Hugo Mãe, crônica belíssima

Outono triste em cárcere

"Há dias, passava pela marginal um homem de braços estendidos no ar como os fantasmas. Dizia que era os mortos da pandemia. Não apenas um morto, mas os mortos todos, como uma representação simbólica das mais de um milhão e duzentas mil pessoas que sucumbiram no mundo inteiro. Quem passava na marginal ouvia aquela declaração louca e não sorria. Lembro o que comentava uma amiga psicóloga há umas semanas, que esgotou no mercado um calmante muito popular, o Victan, e que os níveis de ansiedade estão altíssimos, é possível que muita gente já vá descontrolada pela casa. Muita gente vai sair descontrolada à rua."
(Trecho da crônica de Valter Hugo Mãe, originalmente publicada em Outras palavras, com uma igualmente bela imagem de William Turner)
Leitura altamente recomendável.

Nenhum comentário:

Do Eric para o Thiago

" Lembro de um homem angustiado, indignado, mas cheio de fé na vida. Falamos do Brasil distante e de seus tempos chilenos, de sua amiza...